Domingo, 1 de Fevereiro de 2009

Agora vamos lá falar sobre o tema, sem fugas sádicas.

A infidelidade dos outros dói muito. Dá-nos cabo da auto-estima, como diriam os politicamente correctos.

Ou põe-nos a dar com os cornos nos candeeiros, como diriam os javardos dos meus amigos.

Infidelidade é traição, porque só é infiel quem jurou fidelidade. E quando se jura assume-se.

Mas hoje em dia não. Casa-se de branco pela Igreja porque a cerimónia é mais bonita. E no dia seguinte dá-se uma geraldina para os convidados!!! Vale tudo e “Azevedo”.

As pessoas não entendem que há que ser feliz com o eleito sem o magoar.

Querem tudo. Não estão dispostas a abdicar de nada. Mas infelizmente a vida não é assim.

As relações constroem-se por cedências.

Amo-te a ti, mas fodo tudo o que mexe!!! Mentira. Ama nada e duvido que foda tanto.

Mudam-se os tempos mudam-se as vontades. Até aí certo. Não façamos como nosso avós que ficavam agarrados a casamentos de conveniência a vida inteira.

Mas não magoemos quem amamos e nos ama, por dá cá aquela palha!!!

 



publicado por turista às 19:53 | link do post | comentar

posts recentes

O castor

Inflação de mulheres

Acabou-se a mama

Infidelidade

Os infortúnios da virtude...

Pensar ao contrário.

Anedotas sexuais

Homens de sorte

Leva-me contigo

Revolta adolescente

arquivos

Setembro 2010

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

mais sobre mim
links
subscrever feeds